Sexta, 24 Dezembro 2021 11:18

UM JUDICIÁRIO QUE SÓ ENVERGONHA

Avalie este item
(0 votos)

‘Judiciário está fazendo esforço para se desmoralizar’, diz Fiuza após pena de Palocci ser suspensa

O comentarista do Grupo Jovem Pan vinculou a decisão da Justiça Federal do Paraná com a soltura do ex-presidente Lula

  • Por Jovem PaN

Guilherme Fiuza, comentarista do Grupo Jovem Pan, criticou a decisão da Justiça Federal do Paraná, que suspendeu a execução penal provisória do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci no âmbito da Operação Lava Jato, autorizando a retirada da tornozeleira eletrônica do antigo petista.

Durante o programa “Os Pingos nos Is”, o jornalista chamou o Poder Judiciário” de “teatro dos absurdos”, vinculando a decisão desta quinta-feira, 23, com a soltura do ex-presidente Lula, ocorrida em novembro de 2019, após entendimento do Supremo Tribunal Federal

“O Poder Judiciário está fazendo todo seu esforço possível para se desmoralizar. É um fenômeno em cascata”, disse.

“Cascata pode ser usada como gíria, já que é uma mentirada da premissas que desalojam sentenças consagradas e destituem juízes de suas competências. É o teatro dos absurdos. A delação do Palocci e tudo que ele já confessou… É um retrato amplo e quase perfeito, mais do que suficiente da demonstração cabal do modus operandi do esquema. Nós acompanhamos isso e sabemos que é verdade. São depoimentos que se encaixam com que os investigadores já haviam percebido. O Palocci conta como foi a propina para o Instituto Lula. Ele conta a negociação com a Odebrecht, ele participou de tudo. Ele conhece os detalhes, dá os nomes. E a Justiça brasileira está jogando um jogo muito arriscado de seguir esta reação em cadeia, sem cadeia, inercial a partir do que foi aquele absurdo do STF livrando o Lula”, acrescentou Fiuza.