Segunda, 07 Março 2022 09:01

CHAMAR GUERRA NA UCRÂNIA PODE DAR CADEIA

Avalie este item
(0 votos)

Nova lei pode punir jornalistas com até 15 anos de cadeia por chamar guerra com a Ucrânia de ‘guerra’

A Rússia, que poderia ter ficado orgulhosa de ter visto um de seus jornalistas agraciados com o prêmio Nobel da Paz é justamente a que está adotando uma lei de censura que pode punir com até 15 anos de prisão jornalistas que escreverem verdades incômodas sobre uma guerra que a colocou como inimiga de boa parte do mundo

O parlamento nacional da Rússia, a Duma, deve aprovar nesta sexta-feira a lei que tornará um ato criminoso chamar a guerra na Ucrânia de guerra e permitirá a prisão dos que veicularem “notícias falsas” sobre as operações militares no país vizinho.

 “Notícias falsas” são descritas como qualquer coisa não aprovada oficialmente por Moscou.

 

Censura à imprensa na Rússia começou antes da guerra 

O prêmio Nobel da Paz concedido ao jornalista russo Dmitry Muratov (junto com a também jornalista filipina Maria Ressa) não mudou em nada a conduta o governo de Vladmir Putin em relação à imprensa –  e a guerra com a Ucrânia só fez piorar a situação. 

Leia também 

Não é só com a Ucrânia: Rússia também faz guerra com a imprensa e com as mídias sociais

A mídia independente e jornalistas estrangeiros já vinham sendo sufocados na Rússia com base na “lei do agente estrangeiro”, instrumento para impedir a circulação de notícias que desafiem políticas e atos do regime de Putin. 

Logo que o conflito com a Ucrânia começou, a Roskomnadzor, que regula a mídia na Rússia,  emitiu diretrizes rígidas sobre a cobertura sobre o país vizinho e sobre a ação das forças armadas russas. O órgão ordenou que a mídia de todo o país publique apenas informações fornecidas por fontes oficiais.