SISTEMA PRISIONAL

Governo vai retomar construção do presídio de Rorainópolis...A obra está paralisada desde agosto de 2018 e deverá ser retomada sua construção nos próximos meses

Por GILVAN COSTA

 O Governo do Estado, através da Seinf (Secretaria Estadual de Infraestrutura) e da Sejuc (Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania) vai retomar a obra de conclusão da construção do presídio de Rorainópolis, região sul do Estado. Nesta quinta-feira, 7, equipes das duas secretarias estiveram no local para verificar o que será preciso ser feito para concluir a unidade.

De acordo com o secretário estadual de Infraestrutura, Edilson Lima, foi constatado que a obra está atualmente com 65% dos serviços concluídos.

“A atual gestão recebeu a obra paralisada desde agosto de 2018. Depois de uma vistoria minuciosa, o Governo decidiu rescindir o contrato unilateralmente com a empresa executora e, agora, vamos proceder uma atualização dos preços, para que possamos executar um novo processo licitatório e concluir a obra até o final deste ano”, explicou.

O presídio de Rorainópolis terá capacidade para 240 reeducandos Com a conclusão da obra, o Estado vai minimizar o problema de superlotação na PAMC (Penitenciária Agrícola de Monte Cristo).

“Diante do caos em que se encontra o nosso sistema prisional, com nossas unidades superlotadas, entendemos que a retomada desta obra é fundamental, pois vai garantir o aumento de vagas e proporcionar um tratamento mais humano para os nossos reeducandos”, destacou o governador Antonio Denarium.

HISTÓRICO – A obra do presídio de Rorainópolis teve início em 2008, mas nunca foi concluída. Na gestão anterior, em 2017, foi licitada a sua conclusão, mas a empresa vencedora da licitação executou apenas cerca de 10% dos serviços previstos. Atualmente, faltam cerca de 35% para que a obra possa ser finalizada.

O atual processo contempla serviços de alvenaria, revestimento, pintura, colocação de esquadrias, teto, muralha e guarita, instalações elétricas, hidráulicas, sanitárias e telefônicas, além de combate a incêndio.

A obra está orçada em R$ 5,2 milhões, advindos de recursos do Ministério da Justiça, com contrapartida do Estado.


Imprimir   Email